Please use this identifier to cite or link to this item: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1209
metadata.dc.type: Dissertação
Title: A PERCEPÇÃO DE MÉDICOS DO PSF SOBRE O PROCESSO DE ATENDIMENTO MÉDICO A CRIANÇAS E ADOLESCENTES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
metadata.dc.creator: Margarido, Ayrton
metadata.dc.contributor.advisor1: Próspero, Elisete Navas Sanches
metadata.dc.contributor.referee1: Elsen, Ingrid
metadata.dc.description.resumo: A violência contra crianças e adolescentes sempre esteve presente na história da humanidade e é atualmente considerada um grave problema de saúde pública no Brasil, constituindo a principal causa de morte a partir dos cinco anos de idade. Ela se expressa na forma de maus-tratos físicos, psicológicos, sexuais, econômicos ou patrimoniais, abandono e negligência, causando danos ainda pouco dimensionados. Trabalhar com casos de violência doméstica contra crianças e adolescentes (VDCA) não é uma tarefa fácil, uma vez que o médico pode se defrontar com situações complicadas, notadamente no Programa de Saúde da Família (PSF), que mantém estreito vínculo com comunidades inseridas em cenários propícios a esse fenômeno e expostas a risco social. O país ainda carece de estudos no sentido de conhecer melhor o problema, seus desdobramentos e implicações, sendo que a dificuldade do diagnóstico figura entre as maiores barreiras enfrentadas pelas equipes atuantes nessa área. A partir dessas premissas, esta pesquisa exploratória, com análise qualitativa, foi desenvolvida com o propósito de identificar a percepção de médicos atuantes no PSF sobre o processo de atendimento às vítimas de VDCA na região de Sapopemba, município de São Paulo (SP). Como objetivos específicos, buscou-se investigar o entendimento desses profissionais sobre VDCA, a vivência e a prática diária deles no atendimento às vítimas e a sua formação profissional e/ou acadêmica. O estudo revelou que, além da falta ou do pouco conhecimento sobre as imbricações e impactos da VDCA consequências da não abordagem do tema nos cursos de graduação e da carência de educação continuada , os médicos dedicados a programas de atenção básica se confrontam com dilemas éticos e sentimentos que desembocam na percepção de impotência diante das vítimas de maus-tratos, associada ao medo de represálias por parte dos agressores e ao descrédito nas instituições que têm atribuição legal de dar encaminhamento aos casos. Os resultados obtidos nesta pesquisa indicam que todos esses fatores juntos resultam em deficiências no sistema de notificação que acabam por ampliar as lacunas das estatísticas pouco confiáveis das ocorrências de violência doméstica no Brasil. O cenário atual da violência é bastante complicado e reivindica estudos sistemáticos sobre incidência e prevalência do fenômeno. Entende-se que o incremento das pesquisas e dos debates sobre o tema e programas de educação continuada pode atuar como importante instrumento para reverter o quadro endêmico da VDCA e construir estratégias de enfrentamento sintonizadas com a realidade da saúde pública brasileira
Abstract: Violence against children and adolescents has always been present in the history of mankind, and is currently considered a severe public health problem in Brazil, where it is the major cause of death after the age of five. It is expressed in the form of physical, psychological, sexual, economic or patrimonial abuse, abandonment and negligence, causing damage that has not yet been quantified. Working with cases of domestic violence against children and adolescents (DVCA) is a difficult task, as the doctor may have to deal with complicated situations, notably in the Family Health Program (PSF) which maintains close relationships with communities in scenarios where this phenomenon and the exposure to social risks are higher. There is a lack of studies, in Brazil, aimed at finding out more about the problem, its outcomes and implications, and the difficulty of diagnosis is one of the main hurdles faced by teams working in this area. Based on these premises, this exploratory research, with qualitative analysis, sought to identify the perceptions of doctors working in PSF on the process of healthcare for victims of DVCA in the region of the Sapopemba, in the municipal district of São Paulo (SP). As specific objectives, it seeks to investigate the understanding of these professionals on DVCA, their daily experience and practice in dealing with victims, and their professional and/or academic training. The study revealed that in addition to a lack of or insufficient knowledge of the related issues and impacts of DVCA the consequences of the failure of graduate courses to address the theme, and the lack of continuing education - doctors dedicated to basic healthcare programs face ethical dilemmas and feelings that are manifested as a sense of powerlessness to deal with victims of abuse, associated with a fear of reprisals by the aggressors and a lack of trust in the institutions that have legal attributions to refer cases. The results of this research indicate that all these factors, taken together, result in shortfalls in the reporting system that end up widening the gaps in the statistics - already inconsistent - on domestic violence in Brazil. The current scenario of violence is very complicated, and calls for systematic studies on the incidence and prevalence of the phenomenon. It is understood that the increase in research and the debates on the theme and continuing education programs may act as important tools for reverting the endemic scenario of DVCA and building coping strategies that are in keeping with the reality of Brazilian public health
Keywords: violência
saúde da família
prática médica
educação continuada
violence
family health
medical practice
continuing education
Saúde da família
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade do Vale do Itajaí
metadata.dc.publisher.initials: UNIVALI
metadata.dc.publisher.department: Saúde da Família
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Saúde e Gestão do Trabalho
Citation: MARGARIDO, Ayrton. A PERCEPÇÃO DE MÉDICOS DO PSF SOBRE O PROCESSO DE ATENDIMENTO MÉDICO A CRIANÇAS E ADOLESCENTES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA. 2008. 108 f. Dissertação (Mestrado em Saúde da Família) - Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2008.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1209
Issue Date: 28-Mar-2008
Appears in Collections:Importação Nova 20150826 Coleção

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ayrton Margarido.pdf988,57 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.