Please use this identifier to cite or link to this item: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1279
metadata.dc.type: Dissertação
Title: O CONJUNTO DA PAMPULHA EM BELO HORIZONTE concepção e usos para o lazer e turismo (1943/2003)
metadata.dc.creator: Resende, Maria Stella Andrade de
metadata.dc.contributor.advisor1: Santos, Roselys Izabel Correa dos
metadata.dc.contributor.referee1: Ruschmann, Doris Van de Meene
metadata.dc.contributor.referee2: Camargo, Haroldo Leitão
metadata.dc.description.resumo: Esta dissertação analisa o projeto original do Complexo Arquitetônico e Paisagístico da Pampulha, em Belo Horizonte, formado por uma Lagoa, um Cassino, um clube desportivo, o Iate Golfe Clube; um salão popular de bailes, a Casa do Baile e a Igreja de São Francisco de Assis, idealizados pelo prefeito Juscelino Kubitscheck e projetados pelo arquiteto Oscar Niemeyer, que junto com companheiros artistas, como Portinari, Ceschiatti, Zamoyski, Burle Marx e Pedrosa, fizeram a Pampulha na década de 1940. O estudo utilizou-se do método histórico, via pesquisa documental, buscando-se documentos primários, e com apoio bibliográfico, caracterizando-se, por vezes, como pesquisa exploratória. Traz como objetivos específicos apontar os propósitos da construção do espaço em questão, seus usos e intervenções durante sessenta anos (1943-2003), e a situação atual enquanto patrimônio a ser conservado para o lazer e turismo. Começa pelo reconhecimento do patrimônio histórico no Brasil, traz à tona algumas reflexões sobre o binômio lazer-turismo; busca reconstituir o processo de formação do Estado de Minas Gerais, através dos aspectos sócio-espaço-históricos, para melhor entender a construção da Capital e o movimento modernista que a engendrou, assim como à Pampulha. Discute os usos desse espaço Pampulha durante seis décadas (1943-2003) e relata os programas que vêm sendo ali implementados para a recuperação de sua bacia hidrográfica, com problemas de poluição e assoreamento, causados pelo processo de metropolização acelerado da Capital e falta de planejamento sustentável. A tentativa de apreender a consolidação desse espaço como local de lazer e turismo, não se efetivou, na prática, ficando o mesmo durante longos períodos em estado de abandono e sub utilizado. Considera-se, com os resultados da pesquisa, que a Pampulha não se traduziu num complexo, como previsto, pois nem mesmo o hotel projetado foi construído, assim como não oferecia o local, atividades recreacionais naturais. O turismo ocorreu, na região, enquanto o Cassino funcionou, até 1946, quando foi proibido o jogo no país, ou talvez até alguns anos depois, enquanto a Casa do Baile funcionou como um dancing, mas também para a elite. E hoje a atividade turística ainda é ínfima, baseando-se em números de pesquisa da demanda, sendo Belo Horizonte reconhecida como cidade para negócios e, portanto, recebendo em sua maior parte, pessoas que vêm a trabalho e que, em seus momentos de não-trabalho, fazem o papel de turistas, ou que por ela passam, aproveitando suas idas às cidades históricas. A Pampulha também não se efetivou como atração turística, pois não teve seus atrativos trabalhados a contento, tampouco convertidos em produto. Quanto ao lazer, conclui-se que este sempre ocorreu ali, porém dirigido à elite, quando muito à classe média alta, que a freqüentava e ainda o faz. Com as novas obras de revitalização do entorno da lagoa, aos 106 anos da Capital e 60 anos de Pampulha, além da construção do parque, prometidos para 2004, espera-se que ocorra uma ressignificação desse espaço, dando oportunidade às outras camadas sociais de freqüentá-lo. Porém assinala-se a necessidade premente de um plano sustentado, que possa garantir seu uso-fruto como objeto de lazer urbano às novas gerações.
Abstract: This dissertation analyses the original project of Pampulha s Architectonic and Landscaping Complex, in Belo Horizonte, that holds a Lagoon, a old Casino, which nowadays is a Modern Art Museum; a Yacht Golf Club, which is now a Yacht Tennis Club; the Ball House, before a popular ballroom, today is a Modern Architecture Reference Center, and the São Francisco de Assis Church. Such project was idealized by the mayor Juscelino Kubitscheck and projected by the architect Oscar Niemeyer, who, together with his friends, as Portinari, Ceschiatti, Zamoyski e Pedrosa, did the Pampulha. The study was done based upon a historical method, via document searching, using primary documents, and with bibliographic support, characterized many times, as exploratory searching. Brings as specific goals, points the purpose of the spatial construction, their use and intervention during sixty years and the real situation at this moment, while patrimony to be preserved for leisure and/or tourism. Starts by the recognition of the Brazilian historical patrimony, brings up some reflexions about leisure-tourism; tries to rebuild the structure of Minas Gerais state s development, through social-spatial-historical aspects, in order to have a better understanding about the Capital s construction and the modernist movement that engendered it, as well as Pampulha s. Disputes the use of this space Pampulha during 06 (six) decades (1943-2003) and refer to all the programs there implemented in order to recover the hydrographic basin, with problems caused by the rapid process of metropolization and lack of a sustainable plan. A attempt of apprehend Pampulha s consolidation as a place of leisure and tourism, wasn t accomplished, based on daily experiences, remaining, for long period of time, abandoned and sub utilized. We can consider, as result of this searching, that Pampulha didn t became a complex, as foreseen even the designed hotel was built as well as natural leisure. Also, the tourism occurred while the Casino was opened, until 1946, when was forbidden, or perhaps until few years afterwards, while the Ballroom was opened as a dancing , also for the influential people. Nowadays the tourist activity is low, based on searching numbers of demand, and Belo Horizonte is recognized as a city for business and, thus, the majority of visitors, people who comes to work and, on their free time, going around as tourists. Pampulha didn t accomplish as tourist attraction it didn t have it s attractions worked to one s satisfaction, neither converted as a product. Regarding to leisure, we can conclude that it was always present there, but mostly to the elite, and sometimes to the high middle-class, who use to visit-repeatedly and still does it. With the new revitalization work on the lagoon, besides a park construction engaged for 2004, this space blooming is hoped, giving opportunities to another social classes to enjoy it. However, a sustainable plan is a crying need, which has never occurred there, in order to guarantee the urbane leisure and continuous use to the new generations.
Keywords: complexo turístico
arquitetura moderna
patrimônio
lazer
turismo
sustentabilidade
touristc complex
modern architecture
patrimony
leisure
tourism
sustainable
Turismo - Belo Horizonte (MG)
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::TURISMO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade do Vale do Itajaí
metadata.dc.publisher.initials: UNIVALI
metadata.dc.publisher.department: Planejamento e Gestão do Turismo e da Hotelaria
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Turismo e Hotelaria
Citation: RESENDE, Maria Stella Andrade de. O CONJUNTO DA PAMPULHA EM BELO HORIZONTE concepção e usos para o lazer e turismo (1943/2003). 2004. 76 f. Dissertação (Mestrado em Planejamento e Gestão do Turismo e da Hotelaria) - Universidade do Vale do Itajaí, Balneário Camboriú, 2004.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1279
Issue Date: 16-Mar-2004
Appears in Collections:Importação Nova 20150826 Coleção

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Maria Resende.pdf1,22 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.