Please use this identifier to cite or link to this item: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1702
metadata.dc.type: Dissertação
Title: A REPRESENTAÇÃO SOCIAL DE ACADÊMICAS DO CURSO DE PEDAGOGIA SOBRE O BRINCAR E O APRENDER
metadata.dc.creator: Pacheco, Andressa
metadata.dc.contributor.advisor1: Cordeiro, Maria Helena Baptista Vilares
metadata.dc.description.resumo: Esta pesquisa teve como objetivo conhecer o conteúdo, a estrutura e a dinâmica da representação social de brincar e aprender de acadêmicas do curso de Pedagogia (habilitação em Educação Infantil e Séries Iniciais). O material analisado foi obtido a partir das evocações dos sujeitos diante das palavras estímulo brincar e aprender, aplicando-se a Técnica de Livre Associação. Foram também consideradas as categorizações formadas pelos sujeitos utilizando-se o Procedimento de Classificações Múltiplas, assim como os argumentos que eles utilizaram para justificar essas categorizações. Foram também analisadas as imagens mentais expressas pelos sujeitos sobre o brincar e o aprender. Os dados obtidos nas categorizações foram submetidos a uma análise multidimensional. Verificou-se que o brincar e o aprender são colocados em pólos opostos e suas representações se ancoram nas experiências de vida dos sujeitos, tanto quando crianças, quanto como profissionais, sendo objetivadas em cenas e personagens reais de seu cotidiano que têm como lócus específico a Educação Infantil (onde atua a grande maioria do sujeitos) e/ou a escola que os sujeitos freqüentaram/freqüentam. A representação de brincar se funde com a de criança e se materializa no recreio, no pátio, no parque, que é o espaço onde as crianças se expressam, correm, gritam e pulam com os seus amiguinhos, utilizam brinquedos, se divertem e têm prazer, enfim, podem ser crianças. A representação de aprender se concretiza na sala de aula tradicional, com o uso de materiais didáticos e por intermédio da figura do professor, sendo o aprender considerado como algo mais sério que o brincar. Surgiu também o esboço de um novo sentido na representação de aprender, carregado de afetividade, no discurso sobre a profissionalidade docente. Este parece estar ancorado nas experiências de aprendizagem diária do exercício profissional, em que o professor ensina e aprende nas trocas com os colegas. Os resultados sugerem que a mudança de práticas e de atitudes dos professores em relação às brincadeiras das crianças não se reduz a uma mudança conceitual, pois envolve todo um enfrentamento de si mesmo enquanto o professor que é e a criança que foi.
Abstract: This research had the objective of knowing the content, structure and dynamics of the social representation of Play and Learn of undergraduate students attending Early Childhood Education and Primary School diploma courses. The material analyzed were the subject s evocations elicit by the stimulus-words PLAY and LEARN, applying the Free Association Technique. Categorizations formed by the subject by using the Multiple Classifications Procedure, were also considered, as well as the arguments used as the rationale for these categorizations. The subject s mental images about play and learn were also analyzed. The data obtained from the categorization was submitted to a multidimensional analysis. It has been noticed that play and learn are placed on opposite poles; their representations are anchored on the subject s life experiences, both as children, and as professionals, becoming familiar as they are pictured as true scenes and characters of their everyday life. This happens in a specific locus, the Early Childhood Education settings (where the big majority of subjects act as teachers) and/or the school the subjects attend/attended. The representation of PLAY merges with the representation of CHILD/CHILDHOOD and is materialized as break time, in the playground, in the park, that is the place where children express themselves, run, shout and jump with their peers, use toys, have fun and joy, in short, they are allowed to being children. The representation of LEARN is materialized as the traditional class, run by a teacher and making use of didactic materials, where learning is considered as something more serious than playing. The outline of a new meaning for the representation of learning has also appeared, emotionally loaded in the speech about scholastic professionalism. This one seems to be anchored in the everyday learning experiences of the professional routine. The results suggest that changing routines and teachers attitudes towards the children s games cannot de reduced to a conceptual change, for it involves the fact of facing themselves as the teachers that they are and as the children they once were.
Keywords: representação social
brincar
aprender
social representation
play
learn
Educação de crianças
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade do Vale do Itajaí
metadata.dc.publisher.initials: UNIVALI
metadata.dc.publisher.department: Educação
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Educação
Citation: PACHECO, Andressa. A REPRESENTAÇÃO SOCIAL DE ACADÊMICAS DO CURSO DE PEDAGOGIA SOBRE O BRINCAR E O APRENDER. 2006. 122 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2006.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1702
Issue Date: 18-Jan-2006
Appears in Collections:Importação Nova 20150826 Coleção

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Andressa Pacheco.pdf812,39 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.