Please use this identifier to cite or link to this item: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1716
metadata.dc.type: Dissertação
Title: A INTERAÇÃO PROFESSOR-CRIANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: Contribuições para o processo de auto-avaliação na Formação Docente
metadata.dc.creator: Costa, Saionara
metadata.dc.contributor.advisor1: Cordeiro, Maria Helena Baptista Vilares
metadata.dc.contributor.referee1: Bhering, Eliana Maria Bahia
metadata.dc.contributor.referee2: Borba, Amândia Maria de
metadata.dc.description.resumo: Esta pesquisa se propõe avaliar o processo de interação professora-criança no tempo de brincadeira livre, buscando perceber, no professor, o aperfeiçoamento de qualidades que ampliam as possibilidades de desenvolvimento e aprendizagem das crianças. Os referencias que embasam esta reflexão estão pautados em abordagens interacionistas. O foco central da reflexão volta-se para o papel do professor, enquanto sujeito mais experiente das relações em sala e provedor de situações significativas para o desenvolvimento infantil. Parte-se do pressuposto que a mudança das práticas interativas só poderá acontecer quando ele tomar consciência e refletir criticamente sobre as representações e emoções que alimentam e são alimentadas por essas mesmas práticas. Foram registrados em vídeo, transcritos e analisados nove episódios de interação entre uma professora (a própria pesquisadora) e as crianças por ela atendidas, durante o tempo de brincadeira livre, em duas turmas de Educação Infantil, nos meses finais de 2004 e durante o ano de 2005, perfazendo 110 minutos. Estes foram selecionados de um total de 3 horas de gravação, adotando-se como critério a qualidade do registro e a completude dos episódios. Foram analisados também os registros elaborados pela professora quando observou os vídeos pela primeira vez. Os diários da professora foram utilizados para esclarecer as situações, quando necessário. As categorias encontradas na análise forma agrupadas em duas grandes Unidades de Contexto: Preparação do Ambiente e Processos Interativos . Os eixos de análise utilizados para guiar a reflexão foram as três dimensões da qualidade de engajamento (Laevers,1994)[Sensibilidade, Estimulação e Autonomia]. Para compreender os comportamentos da professora, procurou-se também resgatar suas representações e conhecimentos na época em que as filmagens foram realizadas. A pesquisa mostrou que a interação professor-aluno em sala se inicia antes mesmo que a criança esteja presente, quando a professora organiza o ambiente. Em relação aos processos interativos propriamente ditos, foi observado que não existem fórmulas pré-determinadas para as ações da professora, mas que a existência de verdadeiras ações, capazes de criar zonas de desenvolvimento proximal e, portanto, situações de aprendizagem, dependem da capacidade da professora e da criança elaborarem uma intersubjetividade, ou seja, de compartilharem uma mesma interpretação da situação e dos objetos da interação. Isso exige que a professora coordene seus pontos de vista com os da criança, o que implica também o desenvolvimento de sua sensibilidade para sentir o que a criança está sentindo e identificar, em suas próprias sensações, os elementos que alertam para as inadequações na interação. Essa sensibilidade é necessária para que a professora reconstrua suas representações, sobretudo as que se referem às possibilidades de aprendizagem da criança em momentos de brincadeira livre e ofereça à criança a estimulação adequada para promover sua autonomia.
Abstract: This research evaluates the process of teacher-child interaction during free play. It seeks to observe, in the teacher, the improvement of qualities that extend the possibilities for learning and development in the children. The theoretical references that form the basis for this reflection are based on interactionist approaches. The central focus of the reflection is the role of the teacher, seen as the more experienced person within the ECE classroom and the provider of significant situations to improve the children s development. It is based on the assumption that changes in interactive practices can only occur when the teacher becomes aware of and reflects critically on the representations and emotions that feed and are fed by these very practices. Nine episodes of interaction between a teacher (the researcher herself) and two groups of ECE children were video recorded, transcribed and analyzed. This was done during free play periods, in the final months of 2004 and during the year of 2005, totaling 110 minutes, from a total of 3 hours of film. The selection criteria were the quality of the recording and the completeness of the episodes. The notes written by the teacher when she observed the videos for the first time were also analyzed. The daily classroom notes produced by the teacher were used to clarify the situations, when necessary. The categories found in the analysis were grouped into two large Context Units: Preparation of the Environment and Interactive Processes . The axis of analysis used to guide the reflection were the three dimensions of quality of engagement (Laevers, 1994) [Sensitivity, Stimulation and Autonomy]. To understand the teacher s behaviors, her representations and knowledge at the time when the video recordings were made were also investigated. The research showed that the interaction between the teacher and the children in ECE settings starts even before the child is present, when the teacher organizes the environment. Concerning the interactive processes, it was observed that there are no previously determined formula to guide the teacher s actions, but rather, the existence of true actions, capable of creating zones of proximal development and, therefore, learning situations, depending on the capacity of the teacher and the child to elaborate an intersubjectivity, which means sharing the same interpretation of the situation and the objects of the interaction. This requires that the teacher co-ordinates her points of view with those of the child, which means developing her sensitivity to feel what the child is feeling and to identify, based on her own sensations, the elements that point to inadequacies in the interaction process. This sensitivity is necessary for the teacher to reconstruct her representations, particularly those which concern the children s possibilities of learning during free play, and offer the right stimulation to promote the child s autonomy.
Keywords: interação professor-criança
formação de professores
auto-avaliação
educação infantil
teacher-child interaction
teacher training
self-evaluation
early childhood education
Educação de crianças
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade do Vale do Itajaí
metadata.dc.publisher.initials: UNIVALI
metadata.dc.publisher.department: Educação
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Educação
Citation: COSTA, Saionara. A INTERAÇÃO PROFESSOR-CRIANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: Contribuições para o processo de auto-avaliação na Formação Docente. 2006. 182 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2006.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1716
Issue Date: 9-Oct-2006
Appears in Collections:Importação Nova 20150826 Coleção

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Saionara Costa.pdf996,44 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.