Please use this identifier to cite or link to this item: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1790
metadata.dc.type: Dissertação
Title: A formação continuada do "Programa Vamos Cuidar do Brasil nas Escolas" na região da AMFRI em Santa Catarina
metadata.dc.creator: Orsi, Raquel Fabiane Mafra
metadata.dc.contributor.advisor1: Guerra, Antonio Fernando Silveira
metadata.dc.contributor.referee1: Trevisol, Joviles Vitório
metadata.dc.contributor.referee2: Ferri, Cassia
metadata.dc.contributor.referee3: Taglieber, José Erno
metadata.dc.description.resumo: Este trabalho consiste em uma análise sobre a formulação e a implementação de uma política pública para a formação docente visando a inserção da Educação Ambiental (EA) em escolas da região da Associação de Municípios da Foz do Rio Itajaí (Amfri) em Santa Catarina , desenvolvida no período de 2003 a 2006. Buscou-se verificar se a ação estruturante de formação continuada do Programa Vamos Cuidar do Brasil com as Escolas (PVCBE) uma política federal que tem como objetivo fortalecer e enraizar a Educação Ambiental em ambientes escolares com as Conferências Infanto-Juvenis pelo Meio Ambiente e na criação das Comissões de Qualidade de Vida (Com-Vida), e, em seqüência, a formação para educadores e estudantes. A fundamentação teórica aborda questões como política e política pública (HÖFLING, 2001; LITTLE, 2003; FARAH, 2004) política pública de EA (SORRENTINO, 2005; LOUREIRO, 2004), formação continuada nomenclatura, trajetória, tendências e significados (RAMALHO, 2004; CANÁRIO, 2006; NÓVOA, 2001; FREITAS, 2006; FREIRE, 1996) e formação continuada em EA dentro de uma perspectiva crítica e emancipatória (LOUREIRO et al., 2006; GUIMARÃES, 2004; TRISTÃO, 2004; GUERRA, 2004; LEME, 2006). A abordagem foi qualitativa e os dados obtidos por meio de pesquisa bibliográfica e documental e de entrevistas semi-estruturadas reflexivas com onze educadores ambientais que participaram de duas formações do PVCBE com escolas de oito municípios da região. Este material foi analisado pela técnica de análise de conteúdo, com base na fundamentação teórica. Constatou-se que os objetivos da formação continuada do Programa, no que se refere à inserção da EA, não se efetivaram em muitas escolas da região. Os educadores apontaram a necessidade de que a formação seja um processo contínuo, permanente e aconteça com maior freqüência, favorecendo as trocas de experiências com outros educadores e possibilitando ao educador levantar subsídios para o trabalho docente. Os obstáculos apresentados foram o isolamento dos educadores na própria escola no sentido de participação e envolvimento na implantação da Com-Vida em algumas escolas, bem como na inserção da EA no Projeto Político Pedagógico. Existe a intenção da mudança, da transformação, porém, o que chega ao chão da escola é diferente. A transformação esbarra na organização disciplinar da escola. Foi visível nos relatos o caráter de fragilização das práticas de EA e a falta de aprofundamento e reflexão teórica, na perspectiva de uma EA crítica e emancipatória rompendo com posturas individuais sem envolvimento com o coletivo, ainda muito freqüentes. Enfrentamos uma série de desafios: romper com a descontinuidade, insuficiência, e falta de participação dos educadores na elaboração e nos processo de decisão sobre as políticas públicas de formação continuada para educadores ambientais. Sugere-se constituir grupos de estudo para visualizar as dificuldades e fomentar as potencialidades do entorno escolar, promover encontros entre os grupos de uma determinada região e estimular os educadores a fazer parte de grupos de trabalho em sua escola ou região, participando de projetos e ações vinculadas à Política Nacional de EA (Sala Verde, Coletivo Educador, Agenda 21), como também das redes de Educação Ambiental. Considera-se também manter um canal aberto para um maior dialogo entre os gestores da Política Nacional de EA com as universidades principalmente seus grupos de pesquisa na Pós-graduação e os educadores das escolas e gestores das secretarias municipais e estaduais para intercâmbio de conhecimentos, como também a parceria efetiva na execução de projetos e cursos de formação continuada para Educação Ambiental
Abstract: This study presents an analysis of the formulation and implementation of Public Policies for Teachers of Environmental Education in the AMFRI Region (Association of Municipalities of the Mouth of the Itajaí River) of Santa Catarina, during the period 2003 to 2006. We tried to verify the structuring action of The Program Let s Take Care of Brazil through Schools PVCBE, a Federal Public Policy aimed at strengthening and developing roots of Environmental Education (EE) in schools through Children and Youth Conferences and the creation of Life Quality Comissions (Com-Vida), and secondly, continued education for educators and students. The theoretical basis describes concepts such as policies, public policies (HÖFLING, 2001; LITTLE, 2003; FARAH, 2004), Environmental Education public policies (SORRENTINO, 2005; LOUREIRO, 2004); continuing education nomenclature, history, trends and meanings (RAMALHO, 2004, CANÁRIO, 2006, NÓVOA, 2001, FREITAS, 2006, FREIRE, 1996) and continuing education in Environmental Education (GUIMARÃES, 2004; TRISTÃO, 2004, GUERRA, 2004, LEME 2006). The research takes a qualitative approach, and data was obtained through bibliographic and documentary research and reflective semi-structured interviews with 11 environmental educators who participated in the two PVCBBE training courses, with schools from eight municipalities in the region. This material was analyzed through the technique of Content Analysis based on the theoretical basis. It was verified that the objectives of continued education of Program related to the insertion of EA were not effectively placed in many schools of the region. The educators pointed out the necessity of continued education to be a continuous and permanent process and it should happen more frequently, favoring the exchange of information and offering the educator to raise subsidies for his teaching process. The obstacles presented were: the isolation of educators in the school in the sense of participating and getting involved in the implantation of Com-Vida in some schools, as well as inserting Environmental Education in the Pedagogical Political Project. There is an intention of change, transformation; however, what reaches the school is different. The transformation clashes in the subject organization of the school, the long period of time required for the continuing education processes, and the lack of regional meetings, reflecting the inadequacy of public policies in the area of continuing education for environmental educators. It was visible in the reports the characteristic of fragileness in the practices of EA and the lack of theoretical deepening and reflection, within the perspective of a critical and emancipatory EA breaking with the individual postures with involvement in the collective that are still very frequent. We faced a series of challenges: breaking off with the discontinuity, insufficiency and the lack of participation of the educators in the elaboration and in the process of decision making about the public policies of continued education for environmental educators. We suggest the formation of study groups to visualize the difficulties and foment the potentialities of the school context, the promotion of meetings between the groups of a specific region, the stimulation of educators to participate in other municipal bodies, participation in projects and actions such as the Green Room, the Collective Educator, Agenda 21, as well as the nets of environmental education. We also consider important the maintenance of an open channel to maintain a greater dialogue between the managers of the National EE policy and the Universities particularly their Postgraduate Research Groups- and educators of schools and managers of municipal and state secretariats, for the exchange of knowledge, as well as the effective partnership in the conduction of projects and continued education for Environmental Education
Keywords: educação ambiental
política pública
formação continuada
environmental education
public policy
continued education
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade do Vale do Itajaí
metadata.dc.publisher.initials: UNIVALI
metadata.dc.publisher.department: Educação
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Educação
Citation: ORSI, Raquel Fabiane Mafra. A formação continuada do "Programa Vamos Cuidar do Brasil nas Escolas" na região da AMFRI em Santa Catarina. 2008. 128 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2008.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1790
Issue Date: 21-Nov-2008
Appears in Collections:Importação Nova 20150826 Coleção

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Raquel Fabiane Mafra Orsi.pdf783,56 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.