Please use this identifier to cite or link to this item: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1835
metadata.dc.type: Dissertação
Title: A CONVIVÊNCIA NOS CEIS: Implicações para o Desenvolvimento dos Bebês e das Crianças Pequenas.
metadata.dc.creator: Cera, Fernanda Seára
metadata.dc.contributor.advisor1: Cordeiro, Maria Helena Baptista Vilares
metadata.dc.contributor.referee1: Ferreira, Valeria Silva
metadata.dc.description.resumo: Esta pesquisa procura avaliar os modos de convivência enquanto constituintes do desenvolvimento das crianças, em salas de Berçário I e Berçário II de Centros de Educação Infantil da rede municipal de Itajaí. Para isso, formulamos o seguinte problema: a convivência nas salas de berçário contribui para que estas se constituam em contextos de desenvolvimento saudável dos bebês e das crianças pequenas? Para viabilizar a investigação, formulamos os objetivos específicos que foram: caracterizar o ambiente das salas observadas procurando identificar aspectos facilitadores e limitadores da boa convivência e caracterizar as relações interpessoais nas salas participantes. Para sustentar o valor de uma convivência harmônica, encontramos em Eyng (2009), Jares (2008), Alves (2009), Ortega e del Rey (2002), Arroyo (2007), Abramovay (2002), Perez (2005), Castro (2005) e outros, apoio para argumentar nossas ideias. A teoria que fundamenta nossa pesquisa é a de Urie Bronfenbrenner (1996, 1997, 2005) a qual oferece uma perspectiva teórica inovadora para o estudo do desenvolvimento humano, ao considerar as características e interações das pessoas que se desenvolvem em relação com os diferentes ambientes em que elas estão inseridas. Desta forma, o desenvolvimento é observável nas mudanças duradouras na maneira como as crianças reconhecem e lidam com o ambiente imediato, no qual e com o qual elas podem interagir diretamente. No caso desta pesquisa, os ambientes escolhidos foram salas de berçário, em três CEIs (Centros de Educação Infantil) municipais, pois esses são os ambientes em que se inserem muitos bebês e crianças pequenas, permanecendo de oito a 12 horas por dia. A técnica empregada na pesquisa foi a Observação Participante por considerarmos as especificidades dos contextos pesquisados, onde são atendidas crianças muito pequenas, fazendo-se necessário que a pesquisadora se envolvesse nas atividades, interagindo e auxiliando as educadoras e as crianças como membro que participava, enquanto colhia os dados. Estes dados foram coletados em três salas de BI e três salas de BII distribuídas nos três CEIs, durante três meses. Foram utilizadas categorias de análise das interações educadorcriança inspiradas na escala de engajamento (sensibilidade, estimulação e autonomia) de Pascal e Bertram (2004) e para caracterização do ambiente foram utilizados descritores inspirados nas Escalas ITERS R Infant and toddle enviroment rating scale revised (Harms, Cryer, Clifford (2003) e ECERS R Early Childhood enviroment rating scale revised ( Harms, Cryer, Clifford,1998). Os registros das observações foram analisados por meio do programa estatístico SPSS (Statistical Package for the Social Sciences pacote estatístico para as ciências sociais). Os resultados revelam que dos tipos de violência mais presentes no convívio destas pessoas, a violência emocional é a mais desponta. Este tipo de violência é mais sutil porque deixa traços, corrói a subjetividade, a autoestima, o desenvolvimento saudável e harmonioso, a personalidade e a vida, sem marcar o corpo.
Abstract: This research evaluates the forms of coexistence as components of the development of children in nursery rooms I and II of ECE (Early Childhood Education) in the town of Itajai. To this end, we formulated the following problem: does coexistence in the nursery room favor the creation of contexts for the healthy development of babies and toddlers? To carry out this research, we formulated specific objectives, namely: to characterize the environment of the classrooms observed, seeking to identify features that facilitate or limit good coexistence, and to describe the interpersonal relationships in the participating classrooms. To support the value of harmonious coexistence, we look to Eyng (2009), Jares (2008), Alves (2009), Ortega and del Rey (2002), Arroyo (2007), Abramovay (2002), Perez (2005), Castro (2005) and others for theoretical support in our argument. The theory that underlies our research is that of Urie Bronfenbrenner (1996, 1997, 2005) who offers an innovative theoretical perspective for the study of human development, considering the characteristics and interactions of persons who develop in relation to different environments in which they are inserted. Thus, development can be seen in the lasting changes in the way children recognize and deal with their immediate environment, in which and with which they interact directly. In the case of this research, the environments chosen were nursery rooms in three municipal ECEs (Early Childhood Education Centers), as these are environments where many babies and toddlers spend eight to twelve hours per day. The technique used in this research was participant observation, as we considered the specific characteristics of the contexts studied, in which very young children are cared for, making it necessary for the researcher to be involved in activities, interacting and helping the teachers and children as a participant, while gathering the data. The data were collected in three NI rooms and three NII rooms, distributed in the three ECEs, over a three-month period. Categorization was used to analyze the interactions between the educators and the children, inspired by the scale of engagement (sensitivity, stimulation and autonomy) of Pascal and Bertram (2004) and to characterize the environment, descriptors were used inspired by ITERS Scales - R - Infant and Toddler Environment Rating Scale - revised (Harms, Cryer, Clifford, 2003) and ECERS - R - Early Childhood Environment Rating Scale - Revised (Harms, Cryer, Clifford, 1998). The records of the observations were analyzed using the SPSS (Statistical Package for Social Sciences). The results show that of the types of violence most present in the coexistence of these individuals, emotional violence was rated highest. This violence is more subtle because it leaves traces, undermines subjectivity, selfesteem, healthy and harmonious development, personality and life, without marking the body.
Keywords: convivência
tipos de violência
bebês
crianças pequenas
educação infantil
coexistence
types of violence
babies
toddlers
early childhood education
Educação de crianças
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade do Vale do Itajaí
metadata.dc.publisher.initials: UNIVALI
metadata.dc.publisher.department: Educação
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Educação
Citation: CERA, Fernanda Seára. A CONVIVÊNCIA NOS CEIS: Implicações para o Desenvolvimento dos Bebês e das Crianças Pequenas.. 2010. 208 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2010.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1835
Issue Date: 5-Mar-2010
Appears in Collections:Importação Nova 20150826 Coleção

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Fernanda Seara Cera.pdf1,26 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.