Please use this identifier to cite or link to this item: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1852
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Vamos brincar?: continuidades e rupturas nas práticas curriculares da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental
metadata.dc.creator: Corrêa, Renata Cleiton Piacesi
metadata.dc.contributor.advisor1: Ferri, Cassia
metadata.dc.contributor.referee1: Gesser, Verônica
metadata.dc.description.resumo: Esta pesquisa objetivou identificar, por meio da análise de atividades compreendidas como brincadeiras, as continuidades e rupturas nas práticas curriculares do último ano da Educação Infantil e do primeiro ano do Ensino Fundamental de nove anos. O estudo está inserido na Linha de Pesquisa: Políticas Públicas para Educação Básica e Superior, dentro do grupo de pesquisa: Políticas Públicas de Currículo e Avaliação. A abordagem metodológica se caracteriza pelo enfoque qualitativo. A coleta dos dados foi realizada a partir dos registros das atividades dos alunos do último ano da Educação Infantil e do primeiro ano do Ensino Fundamental de uma escola do município de Itajaí (SC). A concepção do brincar foi o elemento utilizado para identificar, no material analisado, os pontos comuns e divergentes das atividades realizadas pelas crianças de cinco anos, que fazem parte do último ano da Educação Infantil, e das crianças de seis anos que frequentam o primeiro ano do Ensino Fundamental de nove anos. A análise dos dados revelou três categorias: brincar livre como ato lúdico, brincar direcionado como recurso pedagógico e brincar tradicional como resgate da cultura infantil. Essa categorização se fundamenta nos estudos da pesquisadora Tizuko Morchida Kishimoto. Também serviram como base de análise os documentos da política pública do Ensino Fundamental de nove anos, que orientam a inserção da criança de seis anos no Ensino Fundamental. A pesquisa evidenciou que o brincar livre está muito mais presente e é mais respeitado na Educação Infantil, enquanto no Ensino Fundamental ele é realizado de maneira direcionada pelo professor e com muita ênfase nos conteúdos curriculares obrigatórios. Os referenciais para implantação do Ensino Fundamental de nove anos orientam para uma busca pela ampliação da concepção de infância, ou seja, a continuidade do brincar para as crianças de seis anos, sugerindo que no currículo sejam incorporadas práticas lúdicas: o brincar como princípio da prática pedagógica
Abstract: This study seeks to identify, through analysis of activities understood as games, the continuities and ruptures in the curricular practices of the final year of Kindergarten and first year of nine-year Elementary School. It is part of the Line of Research Public Policies for Basic and Higher Education , within the research group Public Politicies of Curriculum and Evaluation . The methodological approach is characterized by a qualitative focus. Data were gathered from the records of students activities in their final year of Kindergarten and first year of the Elementary School, at a school in the town of Itajaí, in the State of Santa Catarina. The concept of "play" was the element used to identify, in the material analyzed, the common and divergent points of the activities performed by the five-year old children in the final year of Kindergarten and six-year old children in the first year of nine-year Elementary School. The data analysis revealed three categories: Free Play as playful act, Guided Play as an educational resource, and Traditional Play a means of reviving children s culture. This categorization is based on the studies of researcher Tizuko Morchida Kishimoto, and served as the basis for analyzing the public policies relating to nine-year Elementary School, which guide the insertion of 6-year old children in Elementary Schools. The research showed that free play is far more prevalent, and more respected, in the Kindergarten, while in Elementary Education, play is more guided by the teacher, with a greater emphasis on the required curriculum content. The framework for the implementation of a nine-year Elementary Education suggests a need to widen the concept of childhood, i.e., extend play for the six-year old children, suggesting that play practices be incorporated into the curriculum, and seeing play as a principle of pedagogical practice
Keywords: Brincar
Currículo
Política Pública
Play
Curriculum
Public Policies
Brincadeiras
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade do Vale do Itajaí
metadata.dc.publisher.initials: UNIVALI
metadata.dc.publisher.department: Educação
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Educação
Citation: CORRÊA, Renata Cleiton Piacesi. Vamos brincar?: continuidades e rupturas nas práticas curriculares da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental. 2011. 116 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2011.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1852
Issue Date: 12-Aug-2011
Appears in Collections:Importação Nova 20150826 Coleção

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Renata Cleiton Piacesi Correa.pdf7,91 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.