Please use this identifier to cite or link to this item: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1870
metadata.dc.type: Dissertação
Title: MÉDICO: SER OU NÃO SER PROFESSOR? Implicações para a conduta médica e a profissionalidade docente
metadata.dc.creator: Foresti, Roque Antonio
metadata.dc.contributor.advisor1: Ferri, Cassia
metadata.dc.contributor.referee1: Mendes, Geovana Mendonça Lunardi
metadata.dc.contributor.referee2: Hostins, Regina Célia Linhares
metadata.dc.description.resumo: A atividade do professor está envolvida num processo de educar e de educar-se. A atividade do professor de medicina não é diferente, ainda que uma terceira pessoa o paciente - esteja envolvida nesta dinâmica. O exercício da atividade médica associado a de ser professor de medicina, pode levar este profissional a assumir novas posturas no decorrer de sua atividade médica diária, em decorrência do desenvolvimento desta nova atividade. O objetivo deste estudo, desenvolvido na linha de pesquisa Políticas para a Educação Básica e Superior, é analisar as possíveis implicações da atividade docente de médicos no curso de medicina e as repercussões que esta atividade desempenhou para a conduta da sua prática médica diária. Utilizamos uma abordagem qualitativa, sendo a coleta dos dados realizada por meio de entrevistas abertas, audiogravadas e transcritas na íntegra com posterior avaliação pela técnica de análise de conteúdo. Os sujeitos são professores médicos do curso de medicina da Univali, com atividade médica por mais de dez anos antes de iniciar a atividade como professor, e que são docentes por mais de dez anos; atuam por 20 horas de trabalho semanais ou mais. Dos 151 professores do curso, após aplicar os critérios de exclusão, foram eleitos para a pesquisa 16 docentes, sendo entrevistados oito deles, quando atingimos os critérios de saturação. O principal motivo que os levou a ser professores foi a ocasião de trabalhar no local da abertura do curso de medicina. As principais implicações da atividade docente foram o desenvolvimento da pesquisa e a intensificação de seus estudos. Não houve registros da mudança da prática médica diária de forma significativa. Conclui-se que são frágeis as intersecções entre a prática docente e a prática médica diária
Abstract: The activity of the teacher involves a process of educating and also of self-education. The activity of the professor of medicine is no different, although a third person - the patient - is involved in this dynamic. Being a doctor and a professor of medicine may lead the professional to take up new positions during their day-to-day medical practice, arising from the development of this new activity. The aim of this study, developed through the research line Policies for Basic and Higher Education, is to analyze the possible implications of teaching activity in a medical school, and the impacts that this activity has had on their day-to-day medical practice. A qualitative approach was used for the data collection, with open interviews, audio recordings and transcription, and for subsequent evaluation of the data, using the technique of content analysis. The subjects are medical professors of the medical school of Univali, all of whom had more than ten years of medical practice before starting the teaching activity, and with more than ten years as faculty members working for twenty hours a week or more. After applying the exclusion criteria, 16 teachers, eight of whom were interviewed, were selected from a total of 151 teachers of the course, when the saturation criteria were reached. The main factor that led them to become teachers was the opportunity to work on the site of the opening of the medical school. The main implications of the teaching activity were the development of research, and the intensification of their studies. There were no significant reports of changes in day-to-day medical practice. It is concluded that there are few intersections between teaching practice and medical practice
Keywords: Educação
Ensino Superior
Docência
Conduta Médica
Education
Higher Education
Teaching
Medical Practice
Educação médica
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade do Vale do Itajaí
metadata.dc.publisher.initials: UNIVALI
metadata.dc.publisher.department: Educação
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Educação
Citation: FORESTI, Roque Antonio. MÉDICO: SER OU NÃO SER PROFESSOR? Implicações para a conduta médica e a profissionalidade docente. 2012. 96 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2012.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1870
Issue Date: 11-Jun-2012
Appears in Collections:Importação Nova 20150826 Coleção

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Roque Antonio Foresti.pdf496,6 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.