Please use this identifier to cite or link to this item: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1897
metadata.dc.type: Dissertação
Title: As pescarias industriais de arrasto-duplo em Santa Catarina-Brasil: dinâmica versus permissionamento
metadata.dc.creator: Benincá, Erica Mastella
metadata.dc.contributor.advisor1: Pezzuto, Paulo Ricardo
metadata.dc.contributor.referee1: Resgalla Junior, Charrid
metadata.dc.contributor.referee2: Perez, Jose Angel Alvarez
metadata.dc.contributor.referee3: Schwingel, Paulo Ricardo
metadata.dc.description.resumo: O arrasto-duplo industrial, presente no Brasil desde a década de 1960, é uma arte de pesca multiespecífica. Atualmente, nas regiões Sul e Sudeste do Brasil, essa modalidade conta com três categorias de permissão: peixes demersais, camarão-sete-barbas e camarão-rosa (aqui subdividida em frigorificada e gelo ), cuja dinâmica não é conhecida. Como objetivo, o presente estudo se propôs a descrever e a analisar a dinâmica das frotas industriais de arrasto-duplo de Santa Catarina entre 2008 e 2010, considerando o sistema de permissionamento vigente. Os dados pesqueiros analisados foram coletados entre 2008 e 2010 pelo Programa de Estatística Pesqueira Industrial de Santa Catarina, por meio de entrevistas, fichas de produção e mapas de bordo, que totalizaram 4.194 viagens de pesca. Foi descrita a composição da captura desembarcada de cada frota, classificando-a, conforme sua permissão, nas seguintes categorias: espécies-alvo, captura incidental (fauna acompanhante previsível) e outros (captura não prevista na permissão). A partir dos preços de primeira comercialização, foi possível verificar a contribuição de cada espécie, ou categoria, para a receita das frotas. Com os totais em volume e em reais - gerados por espécie - foi realizada uma análise de direcionamento de esforço. Por meio de índices ecológicos de sobreposição de nichos, tornou-se possível avaliar o quanto a atuação de cada frota sobrepõe a da outra, considerando tanto as respectivas composições da captura desembarcada (em quilogramas e em reais), quanto as áreas de pesca visitadas. Para cada frota, foram feitas as distribuições globais do esforço, alocadas em quadrantes estatísticos de 30 x30 , e mensais, com a construção de gráficos de latitudes e profundidades mínimas de atuação. As receitas médias por viagem estimadas para cada frota foram comparadas aos custos levantados, a partir de entrevistas com os armadores, destacando-se o elevado gasto com óleo diesel, que respondeu por cerca de 50% dos custos totais. Foi possível verificar que as duas frotas de camarão-rosa apresentam diferenças operacionais significativas que as levam a desembarcar capturas muito diversas, apesar de possuírem permissões iguais. Os camarões barba-ruça e santana, alvos previstos para as três frotas camaroneiras, mostraram-se importantes recursos, principalmente para a frota de camarão-sete-barbas que respondeu por 65% de sua receita. A frota de peixes demersais apresentou uma dinâmica muito diferenciada das demais, destacando-se o fato de que cerca da metade de sua receita proveio da comercialização de espécies diferentes daquelas previstas em sua permissão. O grave declínio sofrido pelos estoques de camarão-rosa, que levou à diversificação dos alvos em busca de compensação econômica, deveria servir de exemplo. Permitir a exploração generalizada dos camarões barba-ruça e santana por todas as frotas, sem considerar os respectivos RMS s estimados é, no mínimo, arriscado, seja do ponto de vista biológico, seja no tocante à sobrevivência futura das próprias frotas envolvidas. Além disso, frotas que usam arte de pesca pouco seletiva, atuando em área de alta biodiversidade, são impossibilitadas de capturar somente o previsto em suas atuais permissões. Nesse sentido, sugere-se a adoção de um sistema de permissionamento voltado para a limitação de esforço em diferentes áreas (unidades geográficas de gestão) a serem definidas, abandonando o modelo de permissionamento baseado em espécies, que se mostra impraticável.
Abstract: Double-rig trawling, used in Brazil since the 1960s, is a multi-specific fishing system. Currently, vessels that operate in with this system in coastal regions of South and Southeastern Brazil have one of three different kinds of permit: demersal fish, sea-bob shrimp, and pink shrimp (subdivided here into "cold storage" and "ice", depending on how the catch is stored on board the vessel; in cold chambers or on ice). The aim of this study was to describe and analyze the dynamics of double-trawl industrial fleets in Santa Catarina from 2008 to 2010, considering the current system of awarding permits. Fishing data were collected by the Programa de Estatística Pesqueira Industrial de Santa Catarina (Fisheries Industry Statistics of Santa Catarina Program), through interviews, production records and log-books from a total of 4,194 fishing trips. Landed species from each fleet were compared with pre-defined officially permitted species lists available for each license, which were divided into target species and incidental capture (predictable accompanying fauna). An other category was created to quantify the amount of landings not included in the official lists. Based on the first sale prices, it was possible to determine the contribution of each species, or category, to the total income of the fleets. With the total volumes, and in Brazilian reals generated for each species, an analysis of direction of effort was carried out. Fleet dynamics were compared using ecological niche overlapping indices and spatial analysis, considering the respective compositions of the landed catch (in kilos and reals), and the fishing areas visited. For each fleet, global distributions of fishing effort were mapped, allocated to statistical quadrants of 30 x 30 , and monthly frequency distributions, through the construction of graphs of latitude and initial operating depths. The average income per trip estimated for each fleet was compared with the costs incurred, obtained through interviews with the vessel owners. Fuel was the main cost item, representing more than 50% of the total. It was found that despite having the same permit, the two types of pink shrimp vessels showed significant operational differences, which also resulted in very different compositions of the landed catch. The shrimps Artemesia longinaris and Pleoticus muelleri, both set as official targets for the three shrimp fleets, were important resources, especially for the sea-bob trawlers, representing 65% of the total income. On the other hand, the demersal fishing fleet showed a very different dynamic from the others. While its income was positively influenced by the number of species officially regarded as targets , in fact, nearly half of the annual income originated from species other than the official targets and predicted by-catches. The serious decline suffered by pink shrimp stocks, which led to the diversification of targets in search of economic compensation, should serve as an example. Allowing generalized exploitation of the shrimp species Artemesia longinaris and Pleoticus muelleri, without considering the respective RMSs, is risky from both biological and economic points of view. Additionally, fleets that use non-selective fishing gear, working in areas of high biodiversity, are unable to adhere to the stipulations of their permits, in terms of species to be caught (or not caught at all). Therefore, we suggest changing the current permit system based on target species, which proved to be impractical, to an area-based permit system, in which fishing effort and technology could be managed in smaller biologically-defined fishing grounds.
Keywords: Pesca industrial
Ecossistemas
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade do Vale do Itajaí
metadata.dc.publisher.initials: UNIVALI
metadata.dc.publisher.department: Tecnologia e Gestão Ambiental. Ecossistemas Aquáticos
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental
Citation: BENINCÁ, Erica Mastella. As pescarias industriais de arrasto-duplo em Santa Catarina-Brasil: dinâmica versus permissionamento. 2013. 109 f. Dissertação (Mestrado em Tecnologia e Gestão Ambiental. Ecossistemas Aquáticos) - Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2013.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1897
Issue Date: 26-Apr-2013
Appears in Collections:Importação Nova 20150826 Coleção

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Erica Mastella Beninca.pdf2,92 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.