Please use this identifier to cite or link to this item: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1898
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Avaliação espaço-temporal da hipoxia no estuário do Rio Itajaí-Açu entre os anos de 2003 e 2012
metadata.dc.creator: Camozzato, Alan Sauer
metadata.dc.contributor.advisor1: Pereira Filho, Jurandir
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Almeida, Tito Cesar Marques de
metadata.dc.contributor.referee1: Rörig, Leonardo Rubi
metadata.dc.contributor.referee2: Lima, André Oliveira de Souza
metadata.dc.contributor.referee3: Polette, Marcus
metadata.dc.description.resumo: O estuário do Rio Itajaí-Açu localiza-se no litoral centro norte de Santa Catarina, drenando uma área de 15.500 km² onde se encontram importantes cidades como Blumenau, Brusque, Navegantes e Itajaí. Na porção final do estuário já foram relatadas, em estudos anteriores, concentrações críticas de oxigênio dissolvido e formação de quadros de hipoxia, principalmente em baixas descargas fluviais. Esse estudo teve como objetivo avaliar os principais fatores que influenciam a qualidade da água e a ocorrência de quadros de hipoxia no estuário. Foram compilados dados de quase nove anos de monitoramento do baixo estuário. Assim reconhecidas formas diferentes que levam aos quadros de baixa concentração de oxigênio dissolvido. A primeira desencadeada por eventos que causam perturbação no sistema, como ocorrência de obras na região portuária ou dragagens de aprofundamento; e a clássica onde o mínimo se desenvolve no limite da extensão da cunha salina, entre os valores de descarga de 60 a 200 m³.s-1 pela maior estratificação. As menores concentrações de oxigênio dissolvido registradas foram 2,0 mg.L-1, 1,59 mg.L-1 e 1,45 mg.L-1. A consequência direta da forma clássica é uma piora na qualidade da água do estuário, devido a menor descarga fluvial não diluir os poluentes tornando lançamentos proporcionalmente maiores, aumentando as concentrações de nitrogênio amoniacal alcançando máxima de 84% no NID. A macrofauna bentônica não demonstrou responder diretamente as variações do oxigênio dissolvido. Já o modelo conceitual apontou a descarga fluvial com contribuição direta na cunha salina e nas variações do OD, concluindo-se que há maiores probabilidades de hipoxia em valores de descarga fluvial abaixo de 180 m³.s-1. A descarga fluvial também mostrou ser responsável pela explicação da maior parte das modificações das condições do sistema
Abstract: The Itajaí-Açu river estuary, on the central northern coast of Santa Catarina, drains into an area of 15,500 km² that has some important cities like Blumenau, Brusque, Navegantes and Itajaí. In the final portion of the estuary, critical concentrations of dissolved oxygen and the formation of signs of hypoxia have been reported in previous studies, particularly in low fluvial discharges. The aim of this study was to evaluate the main factors that influence water quality and the occurrence of states of hypoxia in the estuary. Data were compiled from nearly nine years of monitoring of the lower estuary. This enabled recognition of the different forms that lead to states of low dissolved oxygen concentrations. The first is trigged by events that cause disturbances in the system, such as the occurrence of works in the port region or dredging works to increase the river depth; and the traditional form, in which the minimum concentration develops at the outer edge of the saline intrusion, between discharge values of 60 to 200 m³.s-1 due to the greater stratification. The lowest recorded concentrations of dissolved oxygen were 2.0 mg.L-1, 1.59 mg.L-1 and 1.45 mg.L-1. The direct consequence of the traditional form is deterioration in water quality of the estuary, since the lower fluvial discharge does not dilute the pollutants, making the discharges proportionally greater, increasing the concentrations of ammoniacal nitrogen and reaching a maximum of 84% in DIN. The benthic macrofauna was not directly influenced by variations in dissolved oxygen. The conceptual model indicated that fluvial discharge directly contributes to the saline intrusion and variations in DO. It is concluded that there is a greater likelihood of hypoxia when the fluvial discharge values are below 180 m³.s-1. Fluvial discharge also accounted for most of the changes in conditions of the system
Keywords: Oxigênio Dissolvido
Estratificação
Nutrientes
Dissolved Oxygen
Stratification
Nutrients
Geologia estratigráfica
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade do Vale do Itajaí
metadata.dc.publisher.initials: UNIVALI
metadata.dc.publisher.department: Tecnologia e Gestão Ambiental. Ecossistemas Aquáticos
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental
Citation: CAMOZZATO, Alan Sauer. Avaliação espaço-temporal da hipoxia no estuário do Rio Itajaí-Açu entre os anos de 2003 e 2012. 2013. 124 f. Dissertação (Mestrado em Tecnologia e Gestão Ambiental. Ecossistemas Aquáticos) - Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2013.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1898
Issue Date: 31-Jul-2013
Appears in Collections:Importação Nova 20150826 Coleção

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Alan Sauer Camozzato.pdf4,12 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.