Please use this identifier to cite or link to this item: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1929
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Variação espaço-temporal da ocorrência de ficotoxinas em áreas de cultivo de moluscos de Santa Catarina
metadata.dc.creator: Alves, Thiago Pereira
metadata.dc.contributor.advisor1: Proença, Luis Antonio de Oliveira
metadata.dc.contributor.referee1: Barreiros, Marco Antonio Bacellar
metadata.dc.contributor.referee2: Magalhaes, Aime Rachel Magenta
metadata.dc.description.resumo: A maricultura, atividade de cultivo de organismos marinhos, surgiu em Santa Catarina no início da década de 1990 e atualmente contribui com 90% de toda produção nacional de moluscos bivalves cultivados. Durante o processo de alimentação, os moluscos podem concentrar em seus tecidos, diversas substâncias como as toxinas, que podem ser transferidas para níveis tróficos superiores. Internacionalmente existem limites de níveis de toxinas estabelecidos para o consumo e comercialização de moluscos que recomendam, entre outras técnicas, o bioensaio com camundongos e a cromatografia líquida como as técnicas para detecção das toxinas causadoras das síndromes paralisante (PSP), diarréica (DSP) e amnésica (ASP). Neste trabalho foi avaliada a ocorrência de toxinas e a distribuição de espécies de algas tóxicas nas principais regiões de cultivo de moluscos no Estado de Santa Catarina entre janeiro de 2004 e junho de 2008. As relações com as condições ambientais como salinidade, temperatura e transparência da água dos locais de cultivo também foram investigadas. Foram analisadas 515 amostras de clorofila a, 634 medidas de transparência da água, 645 medidas de salinidade e 637 medidas de temperatura da água, que serviram para a caracterização das localidades de produção de moluscos. Através de microscópio óptico foram observadas 853 amostras de água nas quais foram identificadas as ocorrências de diatomáceas do gênero Pseudo-nitzschia e dinoflagelados como G. catenatum e diversas espécies de Dinophysis, produtores de toxinas amnésicas, paralisantes e diarréicas, respectivamente. Das 403 análises cromatográficas para toxinas amnésicas, dos 512 bioensaios para toxinas paralisantes e 975 para toxinas diarréicas, a ocorrência das toxinas nos moluscos estiveram intimamente relacionadas com a presença das respectivas algas que por sua vez são condicionadas pela interação entre os fenômenos climáticos e oceanográficos específicas para cada população de algas. Durante o período observado as toxinas amnésicas ocorreram no ano de 2006 nas localidades da Armação, a Praia Alegre e Ribeirão da Ilha, as toxinas paralisantes apresentaram uma maior freqüência nas localidades de Penha, no ano de 2006, enquanto que as toxinas diarréicas ocorreram em 2007 e 2008, em todas as localidades, geralmente associadas com água de menor salinidade com características de pluma de rio
Abstract: Mariculture appeared in Santa Catarina State, southern Brazil, in the beginning of 90´s and today comprise 90% of the total cultivate bivalve mussels in the country. Bivalve mussels are filtering feeders and can accumulate in their tissues different substances, including toxins derived from phytoplankton which can be transferred to upper trofic levels. There are limits in which such toxins can be present in mussel tissues in order to make then suitable to be consumed. Toxin determination are generally carried out by mouse bioassays and by high performance liquid chromatography to mainly control levels of paralytic shellfish poisoning (PSP), diarrheic shellfish poisoning (DSP) amnesic shellfish poisoning (ASP). In this study, phytoplankton derived toxin, its occurrence and causative organisms, was evaluated at the main mariculture sites in the coast of Santa Catarina between January 2004 and June 2008. The relationship with environmental variables, such as water salinity, temperature, transparence (as Secchi disc) and chlorophyll a and meteorological data was also investigated. A total of 645 measurements of salinity, 637 of temperature, 634 water transparency and 515 of chlorophyll a were analyzed, together with 403, 512 and 975 mussel samples for ASP, DSP and PSP, respectively. Phytoplankton examination were carried under inverted microscope and revealed the presence of different species of toxic diatoms and dinoflagellates in all areas of mussel production. The presence of toxins above safe limits was closely related to the occurrence of the producing organisms, which at the end, responded to oceanographic and biological factors. ASP was detected at Praia da Armação, Praia and Ribeirão da Ilha in 2006. PSP was present in 2006 mainly at Penha, while DSP occurred at all sampled sites in 2007 and 2008, associated with lower salinity waters
Keywords: maricultura
ficotoxinas
cultivo de moluscos
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::OCEANOGRAFIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade do Vale do Itajaí
metadata.dc.publisher.initials: UNIVALI
metadata.dc.publisher.department: Tecnologia e Gestão Ambiental. Ecossistemas Aquáticos
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental
Citation: ALVES, Thiago Pereira. Variação espaço-temporal da ocorrência de ficotoxinas em áreas de cultivo de moluscos de Santa Catarina. 2009. 77 f. Dissertação (Mestrado em Tecnologia e Gestão Ambiental. Ecossistemas Aquáticos) - Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2009.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1929
Issue Date: 29-May-2009
Appears in Collections:Importação Nova 20150826 Coleção

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Thiago Pereira Alves.pdf4,12 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.